FUMCULT DISCUTE PRIORIDADES PARA RETOMADA DE ATIVIDADES DO CONSELHO DE PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL

A Fundação Municipal de Cultura (Fumcult) quer retomar efetivamente os trabalhos do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Macapá (Comupac), responsável por propor ou receber propostas de tombamentos de bens municipais, fomentar estudos, eventos, atividades permanentes e pesquisas na área cultural, bem como executar outras competências previstas no estatuto que rege a entidade. Para dar início à agenda de ações, o diretor-presidente da fundação, Sérgio Lemos, reuniu-se com alguns dos membros do conselho para definir estratégias e prioridades.

 

“Temos que retomar os processos da Fumcult. E essa reunião foi para reajustar algumas questões burocráticas para o funcionamento do conselho, fazer ordenamentos e como disponibilizarmos apoio jurídico ao conselho. Vencida essa etapa, nosso primeiro assunto em pauta será o tombamento da igreja São José, cujo processo já foi iniciado”, explicou o diretor.

 

O Conselho

 

Foi criado em 2013, logo no início da gestão do prefeito Clécio Luís. É um órgão colegiado de caráter deliberativo e consultivo vinculado à Fundação Municipal de Cultura, que institucionaliza a relação entre a administração e os setores da sociedade civil, participando da elaboração e fiscalização da política de patrimônio cultural de Macapá. É composto por treze conselheiros, representantes do poder público e da sociedade civil organizada.

 

Na composição estão representantes de secretarias municipais com finalidades associadas ao setor cultural. Já a representação da sociedade civil é formada por historiadores, arquitetos, sociólogos, antropólogos e museólogos, assim como mestres de saberes e ofícios ligados às áreas culturais e de meio ambiente, indicados por entidades representativas.

 

Rita Torrinha/Asscom Fumcult

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *